top of page
  • Foto do escritorMaria Júlia Braz

Cosmovisão: a maneira como olhamos para o mundo importa

Atualizado: 11 de nov. de 2023


cosmovisao-a-maneira-como-olhamos-para-o-mundo-importa


Quer nos demos conta ou não, nossa percepção acerca de tudo o que se passa à nossa volta contém embutida uma teoria sobre o funcionamento do mundo.


 

1- REFLETINDO SOBRE NOSSAS CRENÇAS FUNDAMENTAIS


Esse fenômeno – o fato de que tudo o que pensamos e sentimos está atrelado a uma cosmovisão, uma teoria acerca da realidade – é realmente difícil de perceber, pois somos muito pouco estimulados a pensar abertamente sobre isso.


Mas o fato é que a cosmovisão impreterivelmente está lá, orientando a maneira como extraímos sentido dos acontecimentos e da vida, de maneira geral.


Por isso, é muito importante que desprendamos algum esforço para sondar como se desenrola essa história que contamos a nós mesmos acerca da natureza das coisas.


Podemos nos fazer algumas perguntas aparentemente simples:

  • Para mim, as pessoas no geral são boas ou más?

  • E a vida em si, ela é boa, má ou neutra?

  • Eu geralmente espero pelo melhor ou pelo pior?

  • Existe algum sentido possível para a existência?


2- O IMPACTO DA COSMOVISÃO NA SAÚDE MENTAL


A partir desse tipo de reflexão, podemos ir tateando o estado das nossas elocubrações mentais que dão o tom afetivo fundamental de tudo o que experenciamos. Muitos processos de adoecimento mental estão ligados a uma cosmovisão demasiadamente negativa.


É interessante que nos perguntemos: será que a maneira como encaramos as coisas está sendo um peso, ou um alívio? Estar dentro da nossa cabeça está sendo exaustivo demais?


3- UM CAMINHO PARA MAIS LEVEZA E ALEGRIA


Seja qual for a resposta, temos um alento no fato de que essa visão pode, sim, ser mudada. Como se trata de uma percepção subjetiva em relação à natureza das coisas, podemos, com mais ou menos esforço, alterá-la e, consequentemente, viver a vida de maneira totalmente diversa.


Se conseguirmos suportar a vertigem diante do novo que se apresenta quando nos abrimos a esse tipo de reorganização radical da subjetividade, podemos ser diferentes. Os problemas ainda existirão, mas acredite: é possível viver com mais leveza, esperança e alegria.


Gostou da matéria? Compartilhe e continue acompanhando o nosso blog para ficar por dentro das novidades, e até a próxima!


Deseja saber mais, tirar dúvidas ou agendar sua consulta? Entre em contato nos links abaixo:

Maria Júlia Braz - Psicoterapeuta (11) 99317-7217 | mariajuliabrazcontato@gmail.com





17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page