top of page
  • Foto do escritorMaria Júlia Braz

A pior pessoa do mundo: porque investir na autoestima nem sempre é a melhor saída

Atualizado: 11 de nov. de 2023


A pior pessoa do mundo: porque investir na autoestima nem sempre é a melor saída


Há dois tipos de pessoas que todos conhecemos.


Aquela que se sente muito bem consigo mesma. Inabalável, inquestionável, incorrigível.


Por outro lado, também conhecemos aquela que se sente terrível na própria pele. Amaldiçoada, perseguida, falha.



 


1. A DICOTOMIA ENTRE DUAS PERSPECTIVAS PESSOAIS


Nosso ímpeto inicial geralmente é achar que essas duas pessoas não têm nada a ver uma com a outra, são opostas.


Mas, se olharmos bem, podemos perceber que há uma ligação entre elas.


Nem a melhor pessoa do mundo, nem a pior pessoa do mundo, se sentem pessoas normais. Humanas, falíveis. Nenhuma das duas encara seu próprio ser como um igual perante os outros seres.


A melhor pessoa do mundo se sente especialmente boa. A pior pessoa do mundo se sente especialmente má.


Ambas se sentem especiais.



2. A LIGAÇÃO ENTRE AS DUAS PERSPECTIVAS


Há entre essas duas estruturas uma ligação por oposição.


Com isso não quero dizer que, o que podemos chamar de uma autoestima inflada, não deva ser mais agradável de se experenciar. Que se sentir incrível sempre (ou quase) não deva ser divertido.




3. O IMPACTO DA PERCEPÇÃO DE SER ESPECIAL


Mas voltemos nosso olhar à 'pior pessoa do mundo'. Ela está em maior sofrimento, certo? O que poderia ajudá-la?


Que ela construa uma máscara de pessoa infalível, ou que ela se perdoe, por entender que é humana como todas as outras?


O movimento mais acertado, e mais difícil, que podemos fazer é abrir mão da nossa necessidade de sermos considerados 'especiais', e reconhecermos que somos, na verdade, radicalmente iguais aos outros.



4. A REALIDADE DA NATUREZA HUMANA


A ilusão de sermos especialmente abençoados ou amaldiçoados nos isola. A igualdade possibilita a conexão.


Pois é só entre iguais que podemos viver em companheirismo, com todas as outras pessoas e criaturas que habitam essa existência maluca junto a nós.


Gostou da matéria? Compartilhe e continue acompanhando o nosso blog para ficar por dentro das novidades, e até a próxima!


Deseja saber mais, tirar dúvidas ou agendar sua consulta? Entre em contato nos links abaixo:

Maria Júlia Braz - Psicoterapeuta (11) 99317-7217 | mariajuliabrazcontato@gmail.com

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page